The Messenger (PC/Nintendo Switch)

Os jogos de ninja foram um grande sucesso durante a época dos 8/16-bits mas perderam força com a chegada dos jogos 3D e hoje é possível contar nos dedos os lançamentos que contam com essa temática. Porém, um estúdio independente quer voltar as origens, mais precisamente do clássico Ninja Gaiden. Hoje vamos conhecer The Messenger, portanto pegue seu controle e fiquei á vontade.

header.png

Lançado em agosto de 2018 para Nintendo Switch e PC, The Messenger é um jogo de plataforma desenvolvido pelo estúdio Sabotage e publicado pela Devolver Digital. No jogo acompanhamos as aventuras de um aprendiz de ninja que se torna a ultima esperança de salvação para seu clã ao ser incumbido de entregar um pergaminho para seus lideres. Apesar de parecer uma história simples se comparado aos jogos AAA de hoje, ela tem muitas tiradas inteligentíssimas, principalmente durante as conversas com o mercador, que sempre tenta quebrar a quarta parede.

42878398_889476494594980_3388344698186760192_o
O jogo está 100% legendado em português!

Mas a estrela do jogo com certeza é sua mecânica, que apesar de simples, o que é esperado para um jogo de 8/16-bits, faz jus a clássicos das antigas como Ninja Gaiden e até mesmo obras mais modernas como Shovel Knight. Durante o gameplay descobrimos que a aventura que tem um tom linear no começo (8-Bits) se torna um complexo metroidvania (16-Bits) com profundidade muito maior do que a vista em seu inicio.

Essa mudança ocorre por conta de nosso personagem receber a habilidade de viajar no tempo, fazendo com que a exploração de cenários previamente visitados se torne diferente, uma vez que com essa nova ‘roupagem’ gráfica, passagens escondidas e outros segredos que só o ‘tempo revela’ aparecem.

The Messenger - Screen 1
Até Ryu Hayabusa gostaria de aparecer em um jogo assim

Graficamente o jogo é impecável, com gráficos que remetem muito bem a época dos jogos de NES/SNES. E é nesse quesito que é possível notar que os desenvolvedores se basearam muito em Ninja Gaiden para fazer o jogo.

Outro ponto que vale destaque é sua trilha sonora, composta por Eric Brown (Rainbowdragoneyes), totalmente desenvolvida no Famitracker e que dá um tom muito mais nostálgico ao jogo, apesar de se tornar repetitiva após algumas horas cumpre bem o papel de imersão do jogador aos antigos jogos.

The Messenger - Screen 13
Nesse reino dos cogumelos nem Mario gostaria de estar

Porém, nem tudo aqui são flores: o jogo conta com uma dificuldade moderada, o que pode afastar os jogadores mais casuais. E é exatamente essa dificuldade que torna o jogo tão viciante, durante toda a jogatina as partes que me frustravam apenas me davam mais vontade de dominar as mecânicas do jogo para conseguir avançar, isso dá um senso de recompensa enorme ao jogador. Cheio de surpresas e reviravoltas de cair o queixo, o mundo de The Messenger com certeza é um que vale o seu tempo.

Não ficam dúvidas que esse é um dos melhores jogos indie disponíveis no Nintendo Switch e merece muito a atenção de todos os gamers.

E você, já conhecia The Messenger? Pretende jogar?

*Esse review foi possível com a ajuda da Devolver Digital, que gentilmente cedeu uma cópia do jogo para esse review.

43078573_890485737827389_5167917444701880320_o
Após 12 horas, finalizado! Merci Rodrigo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: